segunda-feira, 3 de novembro de 2014

PORQUE NÃO EVANGELIZAMOS?













Leituras bíblicas iniciais: Romanos 10.14,15; Marcos 16.15; 2Timóteo 4.2.

Cada dia temos percebido que evangelizar vem sendo uma prática escassa nas igrejas cristãs. Mas, a que fato deve isso? O que tem acontecido com a igreja de uns tempos pra cá que tal mandato de Cristo vem sendo protelado e até mesmo esquecido por muitos evangélicos?

Vou numerar aqui alguns motivos que consigo ver na vida da igreja atual:

1) A criação de departamentos ou rede ministerial na igreja. Esse método surgiu décadas atrás e virou uma febre. Todavia, causou um sério problema: o evangelismo virou um ministério. Isolando-o da missão de todos. Estive em uma reunião de liderança e pude perceber que ainda hoje esse mal entendido deixado, prevalece. Quando eu falava da importância de evangelizarmos e irmos para fora das quatro paredes da congregação e levarmos a boa semente, fui interrompido com um dos lideres me interrogando: “mas, isso não é serviço do ministério de evangelismo?”

2) A expansão da teologia contemporânea. Esse ponto é muito extenso. Terei que explicar e explanar sobre o que é teologia contemporânea. E para encurtar o caminho, sugiro aos irmãos a lerem meu texto que escrevi sobre “A Doutrina da Santificação e as Ameaças da Teologia Contemporânea”. (disponível em: ANTI-HERESIAS). Indo direto ao ponto, esse teologia não acredita na doutrina da queda, conseqüentemente, a doutrina da salvação perde o seu miolo de remoção do pecado e expiação de Cristo, resultado disso? O evangelismo perde o sentido e vira uma missão social.

3) Mornidão espiritual da igreja atual. A Bíblia nos fala de uma igreja nesse estado. A igreja de Laodiceia (Cf. Ap.3.14-16). As águas da cidade de Laodicéia eram conhecidas como “águas mornas”, todavia eram sujas. Jesus associou a condição da água daquela cidade à condição da igreja. Isto é, uma igreja que segue os rumos da cidade, do mundo pecaminoso. Uma igreja que não tem fervor suficiente que salte para uma postura de sal e luz do mundo (Cf. Mt.5.13-16).

4) Falta de compaixão da igreja atual. A compaixão é sentir o lado do outro. E isso só produz quando o amor é vivo nos corações. Uma outra igreja em Apocalipse retrata bem esse quadro da igreja atual. A igreja de Éfeso. Jesus declara que ela havia deixado o seu “melhor amor” (Cf. Ap.2.4,5). Quando a qualidade do amor da igreja cai, sua compaixão pelos perdidos também vai abaixo. A Bíblia prevê que o amor de muitos esfriará (Cf. Mt.24.12).

5) Falta de discipulado. Poucas são as pessoas que ingressão na igreja e são acompanhados. E pra quem sabe o que isso, conhece muito bem que há dois objetivos: morte do eu e reprodução. Enquanto o discípulo não amadurecer isso em sua vida o discipulador não o deixa. É fato. Porém, discipular é uma prática muito escassa hoje na igreja. Não é por menos que o evangelismo vive em baixa hoje em muitas congregações.

6) Incompreensão ou rejeição da doutrina do inferno. Muitos cristãos tem deixado de evangelizar por falta de consciência do que é o inferno. Infelizmente os cristãos duvidam das declarações bíblicas do tipo: Mt.25.41; 2Ts.1.7-9; Ap.21.8. E se esquecem que pelo depoimento de duas ou três testemunhas toda a palavra será confirmada (Cf. Mt.18.16). Eu chamei para testemunhar, aos crentes desavisados ou que rejeitam o inferno, o depoimento de três testemunhas aqui: Mateus, Paulo e João. Peço que vocês assistam ao vídeo no Youtube intitulado “Do Inferno Nunca mais Sairão” por Paulo Junior, canal Defesa do Evangelho. (disponível em: DEFESA DO EVANGELHO)


Dúvidas e esclarecimentos escreva para: web-assessoria@bol.com.br
Direito de resposta: coloque abaixo seu comentário e aguarde a liberação do moderador do blog.

Nenhum comentário: