sexta-feira, 6 de abril de 2012

BÊNÇÃO E MALDIÇÃO NAS ESCRITURAS, E OS EQUÍVOCOS NEOPENTECOSTAIS



Em Gênesis 1.22,27,28 encontramos as primeiras citações bíblicas da palavra “bênção”. E em Gênesis 3.17 é a primeira citação da palavra “maldição”.

Devido à influência cultural do misticismo/esoterismo em nosso país (Brasil). Essas palavras têm sido interpretadas não no contexto bíblico, mas no contexto cultural de nosso país. Daí o porquê das distorções e mal entendidos sobre o assunto, quando abordamos à luz da sã doutrina. Quando a interpretação parte dessa linha de entendimento ocorre a falácia que chamo de “anacronismo sincrético”. Isto é, confusão de religiosidades, de crenças. Assim, aquela palavra que deveria ser vista dentro de seu contexto é vista por outra perspectiva. Nas palavras “bênção” e “maldição” ocorrem isso. Quando a Bíblia fala dessas palavras, ela não faz coro com o entendimento místico brasileiro. Onde “bênção” significa “feitiço bom”; e “maldição” significa “feitiço mau”. De forma alguma, essas palavras na Bíblia não foram escritas em português para dar-lhes esse direito de interpretação. Vejamos exemplos:

Tratando-se de BÊNÇÃO

Quando a Bíblia diz que Deus abençoou Adão e Eva (Gn.1.28), não está se referindo que ele os “benzeu”, lançou-lhes um “feitiço bom” ou deu-lhes uma “proteção”. Não! Apenas está dizendo que Deus concedeu o bem para eles. Que os fez felizes e prósperos. Quando diz que Deus abençoou os animais fez também o mesmo. Veja outros casos: G.2.3; 9.1; 25.11; 27.23.
Quando se trata de ser humano para ser humano, essa “bênção” é concedida por meio da autoridade constituída; e submissa a permissão de Deus. Pois ele é soberano em tudo. Vejamos: Jr.10.23; Sl.95.3; 103.19; 66.7; Tg.4.13-16. Pode significar também “bendizer”, que quer dizer falar bem, exemplo: Tg.3.9.

Tratando-se de MALDIÇÃO

Essa palavra tem sido mal interpretada de mais pelos neopentecostais. Quando a Bíblia fala “maldição”, não está se referindo ao nosso entendimento brasileiro, tipo: feitiço mau ou maligno. Essa palavra nas línguas originais da Bíblia quer dizer: “Destruição, difamação, calúnia, maldizer, condenação, desgraça (ausência da graça)”. Vamos aos exemplos bíblicos:

Maldição como “maldizer”: Tg.3.10; como “destruição”: Hb.6.8; como “condenação”: Gl.3.10,13; como “desgraça”: Ap.22.3; como “calúnia” e “difamação”: Tg.3.9.

Biblicamente falando, quando maldição quer dizer “destruir ou condenar” ninguém pode destruir ou condenar plenamente outra pessoa. Por mais autoridade que tenha sobre a terra. Vejamos o que a Bíblia diz sobre isso:

“Não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei, antes, aquele que pode fazer perecer no inferno tanto a alma como o corpo”. (Mt.10.28). Só Deus pode amaldiçoar (condenar ou destruir) plenamente uma pessoa.

“Um só é Legislador e Juiz, aquele que pode salvar e fazer perecer; tu, porém, quem és, que julgas o próximo?” (Tg.4.12). Se Deus é o único juiz, ninguém pode amaldiçoar (condenar ou destruir) o próximo. Exceto que Deus permita ou venha a consentir.

“Não julgueis, para que não sejais julgados. Pois, com o critério com que julgardes, sereis julgados; e, com a medida com que tiverdes medido, vos medirão também”. (Mt.7.1,2). Quem amaldiçoa (condena ou destrói) outra pessoa receberá de volta o que fez. Porque é imperfeito o tanto quanto o outro.

Quanto às pessoas falarem mal ou maldizerem, que quer dizer também amaldiçoar, a Bíblia tem severas repreensões:

“Irmãos, não faleis mal uns dos outros. Aquele que fala mal do irmão ou julga a seu irmão fala mal da lei e julga a lei; ora, se julgas a lei, não és observador da lei, mas juiz”. (Tg.4.11).

“Ou não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: ... nem maldizentes... herdarão o reino de Deus”. (1Co.6.9,10). A palavra grega de onde traduzimos “maldizentes” é “loidoros” que quer dizer “blasfemador, insultador”. Blasfemador, nesse contexto, quer dizer “ultraje dirigido contra pessoa ou coisa respeitável”. Ultraje: calúnia, difamação.

Quando Deus diz para Abraão: “Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; em ti serão benditas todas as famílias da terra”. (Gn.12.3). Ele está dizendo que vai conceder o bem aos que bendizerem Abraão, aos que concederem o bem para ele. Quanto aos que quiserem destruir, maldizer a Abraão, Deus irá destruí-los, trazer desgraça (retirar sua graça) sobre eles.

Quando Deus põe a bênção e a maldição diante de Israel em Deuteronômio 28.3,4,5,6 ele está concedendo o bem para o povo. Já em Deuteronômio 28.16,17,18,19 ele está prometendo destruição, desgraça (retirar sua graça), trazer praga (condenação).

Em fim, os neopentecostais (novos pentecostais) estão equivocados e trazem divisão na igreja de Cristo com esse linguajar esotérico sobre bênção e maldição. E quanto a isso a Bíblia nos adverte:

“Rogo-vos, irmãos, que noteis bem aqueles que provocam divisões e escândalos, em desacordo com a doutrina que aprendestes; afastai-vos deles, porque esses tais não servem a Cristo, nosso Senhor, e sim a seu próprio ventre; e, com suaves palavras e lisonjas, enganam o coração dos incautos”. (Rm.16.17,18).

Postarei em breve um desdobramento desse assunto:

PECADOS DE FAMÍLIA X MALDIÇÃO DE FAMÍLIA quais desses assuntos tem respaldo bíblico? Confira agora aqui

Você pode conferir também minha antiga postagem: Objeções Bíblicas ao Neopentecostalismo

Dúvidas e esclarecimentos escreva para: web-assessoria@bol.com.br
Direito de resposta: coloque abaixo seu comentário e aguarde a liberação do moderador do blog.

Nenhum comentário: