terça-feira, 18 de maio de 2010

VÍDEO NOTÍCIA: deuses ocultos 3



Dúvidas e esclarecimentos escreva para: web-assessoria@bol.com.br
Direito de resposta: coloque abaixo seu comentário e aguarde a liberação do moderador do blog.

segunda-feira, 3 de maio de 2010

VÍDEO NOTÍCIA: deuses ocultos 2



Dúvidas e esclarecimentos escreva para: web-assessoria@bol.com.br
Direito de resposta: coloque abaixo seu comentário e aguarde a liberação do moderador do blog.

O DÍZIMO - uma resposta aos controversos e avarentos

















A origem do dízimo

O dízimo começa bem antes da lei, remota a Abraão e ao sacerdote Melquisedeque, passa pela lei e chega até Jesus. E ele comenta indiretamente sobre o assunto em Mateus 23.23 quando reforça o ato de ser dizimista na frase: “deveis, porém, fazer estas coisas, sem omitir aquelas”. E observa o ato de fé da pobre viúva em Marcos 12.41-44. Como vemos, o Novo Testamento não reprova o dízimo. E nem o aboliu, haja vista que sua prática antecede a lei. Podemos dizer que o dízimo, como lei, foi abolido, mas como princípio praticado pelos patriarcas, permanece.

Os princípios do Velho Testamento, como nós veremos mais adiante, devem ser observados. A aplicação dos princípios do Velho Testamento na igreja não lhe é prejudicial. Ver o dízimo como uma lei, vai dar problemas, mas se vemos como princípio, não. Pois os princípios são permanentes. O princípio do dízimo trabalha fidelidade, gratidão, generosidade, fé e etc. A lei do dízimo gera controvérsias porque o contexto da congregação de Israel é um, já o contexto da igreja é outro. Vejamos a diferença:

Congregação de Israel = nação, estado laico e governo teocrático (o dízimo era visto como um tipo de imposto).

Igreja = local, denominacional, governo limitado, ora episcopal, ora congregacional e ora os dois juntos se mesclando. (trabalha-se a voluntariedade e a espontaneidade).

Congregação de Israel = sacerdotes, levitas, templo.

Igreja = dispensa tudo isso. O sacerdócio é universal (1Pe.2.9), levitas todos somos e o templo somos nós. Temos apenas as figuras representativas: pastor (bispo ou presbítero), lideranças (diáconos, líderes de ministérios ou departamentos) e o prédio onde se reúne a igreja, o povo de Deus.

Congregação de Israel = lei
Igreja = graça

Congregação de Israel = observância das leis
Igreja = observância de princípios

Congregação de Israel = uma cultura, uma história
Igreja = outra cultura, outra história

Etc.

A igreja não deve colocar o dízimo como uma obrigação ou imposto, mas como princípio, uma prática pessoal, voluntária e intransferível.

O Dízimo nas Escrituras